FANDOM


Globo Repórter é o mais tradicional programa jornalistico da TV Brasileira. Estreou na Globo em 3 de Abril de 1973. Atualmente apresentado por Sérgio Chapelin e Glória Maria.

O Programa

Exibido semanalmente nas noites de sexta-feira após a novela (Com reprise na Globo News no dia seguinte), é um dos programas mais antigos da TV Brasileira. A cada semana o programa aborda um tema diferente na forma de documentário.

Exibe reportagens sobre comportamento, aventura, ciência e natureza. Matérias investigativas, perfis de personalidades brasileiras, lugares exóticos e fascinantes do Brasil e do mundo, pesquisas científicas nas áreas de saúde e tecnologia e curiosidades sobre o mundo animal também tem espaço.

Apresentado por Sérgio Chapelin, o programa tem Glória Maria como apresentadora eventual (que também produz algumas reportagens).

Retrospectiva

Anualmente, na última sexta-feira do ano, a Globo coloca no ar a Retrospectiva. Produzida pela equipe do Globo Repórter, o especial traz um resumo de tudo o que aconteceu no Brasil e no mundo no ano que está acabando. Os acontecimentos políticos e econômicos, as tragédias e desastres naturais, os avanços no campo da ciência, as novidades no mundo das artes e da música, as notícias sobre celebridades, e as personalidades que faleceram são relembradas.

Seleção Globo Repórter

Em 16 de Outubro de 2017, a Globo estreou o Seleção Globo Repórter. Exibido de segunda à sexta antes do Hora Um, trata-se de uma coletânea que reprisa as melhores reportagens do jornalístico.

História

O Globo Repórter surgiu da necessidade da emissora, que começava a se solidificar, em criar um programa jornalistico de documentários semelhante ao americano 60 Minutes da CBS. Porém, ainda não havia estrutura para a produção de um programa constituído basicamente de externas. Levando a emissora a adotar o modelo do extinto Globo Shell Especial: produzindo cine-documentários com imagens e depoimentos dos entrevistado sem que o repórter aparecesse, com uma locução em off do apresentador.

Assim, o programa estreou em 3 de abril de 1973. Sob coordenação de Moacyr Masson, direção de Paulo Gil Soares (chefe da Divisão de Reportagens Especiais) e apresentação de Sérgio Chapelin. Inicialmente indo ao ar nas noites de terça-feira. O primeiro programa apresentou quatro reportagens sobre temas diferentes: o universo das escolas de samba, as iminentes eleições no Chile, Argentina e França, a carreira do piloto Emerson Fittipaldi, e a situação dos índios Siouxsie nos Estados Unidos.

Anos depois, o programa foi dividido em blocos temáticos. O Globo Repórter Atualidades apresentava os principais assuntos do mês. O Globo Repórter Pesquisa investigava temas polêmicos. Globo Repórter Futuro trazia especulações sobre o futuro. O Globo Repórter Arte trazia matérias de música, literatura e dança. Já o Globo Repórter Documento apresentava o Globo Shell Especial.

Em 1974, passou a ser exibido mais cedo, às 21h, no horário antes ocupado pelo humorístico Satiricom. O novo horário e o novo público levaram a mudanças na linguagem do programa. A mudança do horário levou o programa a mudar sua linguagem. Optando por uma que mesclasse entretenimento e informação.

Após oito anos no ar, o Globo Repórter ficou fora da grade de programação por cinco meses, voltando a ser exibido em março de 1982, no antigo horário das 23h, com um formato mais jornalístico. Houveram outras mudanças, como o uso do videotape. Passou a ser produzido em U-matic e, posteriormente, em betacam. Com isso, o programa se afastou do modelo de cinejornal para um modelo mais próximo da televisão.

Em maio de 1989, o jornalístico passou a ser apresentado por Celso Freitas. Ele ficou no comando até 1996 quando Chapelin retornou à apresentação do programa. Em abril de 2010, após dois anos fora do ar, Glória Maria voltou à emissora à frente de matérias especiais no Globo Repórter.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.